Últimas Notícias

AÇUDE SÃO MATHEUS: SANTO QUE MATA A SEDE DO POVO DE CANINDÉ ESTÁ AGONIZANDO.


Enquanto a população de Canindé, aguarda com ansiedade e expectativa o avanço das águas no açude São Matheus, no segundo maior reservatório da cidade, quem avança de forma acelerada é o mato e, o descaso do Departamento Nacional de Obras contra as Secas – DNOCS.

Quem chega ao local logo percebe o sinal de abandono. Até o pluviômetro instalado logo na entrada do reservatório deu problemas e foi levado para o concerto e nunca mais voltou. Seu Messias Miranda que estar no serviço há 61 anos disse a Reportagem do ‘’C4 NOTÍCIAS DO POVO ON LINE’’, que até um caderno com as anotações das chuvas diárias foi levado sem nenhuma explicação.

‘’Levaram para o açude Sousa, aonde está instalada a sede da Companhia de Gerenciamento e Recursos Hídricos – COGERH, sob a alegativa de que agora tudo será centralizado no escritório do órgão’’, disse em meio desolado.

O açude pegou apenas 8 centímetros de água no ano de 2018 e perdeu um centímetro com a evaporação.

Concluído no dia 4 de outubro de 1957 e inaugurado pelo presidente da época, Juscelino Kubitschek, numa área de 255 hectares, a barragem, tem uma bacia hidrográfica de 265 quilômetros quadrados e 235 hectares de bacia hidráulica numa extensão de 700 metros. O São Matheus completa este ano, 61 anos de serviços ao povo de Canindé.

Sua capacidade na inauguração era de 11 milhões metros cúbicos. Hoje se encontra com apenas 10 milhões e 330 m3.

Nada até agora foi feito. Só muita conversa e demagogia.

O que deveria ser um orgulho para o povo de Canindé, o açude vive em total esquecimento por parte do órgão federal e tornou-se ponto de reclamação. Os 775 metros de parede estão tomados pelo mato e cheios de crateras que coloca em risco a vida dos moradores que transitam na área.

"O Açude São Matheus está abandonado. Por conta da falta de compromisso das autoridades. O mato tomou conta de toda sua extensão e, o que é pior, o gado invadiu a área de limite do DNOCS", critica um morador que pediu para não ser identificado. Até um campo de futebol foi construído dentro da área.

A última vez que a parede da barragem passou por uma limpeza foi no dia 22 de maio de 2008, por meio de um mutirão feito pelo ex-secretário de Meio Ambiente, a época Airton Maciel, em parceria com a Associação dos Moradores do Bairro São Matheus.
Para o especialista na área, Francisco Eudes Costa Mendes, o que deveria acontecer era um trabalho de manutenção a cada três meses em rachaduras, deslizamentos de pedras e limpeza geral, inclusive no material reciclável, como exemplo de garrafas de plásticos.
A última atividade que aconteceu foi uma limpeza de vegetação em 2008, por meio da Prefeitura em conjunto com a associação do bairro onde está localizado o reservatório.


Um ofício de número 37, datado do dia 2 de fevereiro de 2010, assinado pelo então Diretor Geral do DNOCS, a época engenheiro Elias Fernandes Neto, que já demitido: dizia; ‘’que levando em conta a escassez de recursos disponibilizados anualmente no orçamento do órgão, a administração tem promovido à recuperação de barragens de forma priorizada, ou seja, daquelas que são classificadas na situação de elevado risco potencial.

O que implica dizer que o São Matheus nunca foi e jamais será prioridade pelo Departamento Nacional de Obras Contra as Secas.

É deplorável a situação do reservatório, mato, lama, animais pastando livremente, e o que é pior sem nenhuma informação de quando alguém vai cuidar desse pedaço de nossa história.

Fotos de texto de Antônio Carlos Alves

Nenhum comentário

Pedimos aos usuários que logo abaixo da caixa de comentários ao invés de anonimo, coloquem nome/url e coloquem a identificação a fim de comprovar seus cometários, é muito importante que vcs se identifiquem assim suas opiniões serão mais aceitas. Aos que persistirem no anonimato será feita a devida moderação nas palavras e afirmações comentadas.

Não utilizem palavras ou frases que ataquem ou agridam a outrem direta ou indiretamente, o portal C4 Notícias modera os comentários mas não se responsabiliza pelas opiniões deixadas por seus leitores.

att
Equipe C4 Notícias