Últimas Notícias

MINA DE ITATAIA TERÁ EXPLORAÇÃO PARA 2020.


O Projeto Santa Quitéria, complexo de exploração de urânio e fosfato no distrito de Itataia, deverá começar a operar em 2020. Segundo a mineradora Galvani, que fará a exploração de fosfato para a fabricação de fertilizantes e ração animal, caso o projeto receba a permissão prévia neste ano, a licença de instalação (marco para o início da construção) deverá ser concedida no 1º semestre de 2017.

A empresa prevê o término da obra para o fim de 2019, com início das operações no ano seguinte. A informação é do Deputado Federal Danilo Forte que esteve recentemente em Canindé e foi recebido pelo vereador de Itatira Léo Miguel, que tem procurado auxiliar da luta pela reativação do completo de urânio da região.

‘’Além da licença ambiental, de responsabilidade do IBAMA, é necessária também a obtenção da licença relativa à área nuclear, de responsabilidade da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN). A exploração da mina será feita pelo Consórcio Santa Quitéria, composto pela fabricante de fertilizantes norueguesa Yara, Indústrias Nucleares do Brasil (INB) e Galvani’’, explicou o deputado.

De acordo com a mineradora, o projeto irá gerar 800 mil toneladas de rocha fosfática por ano, que serão distribuídas para o Nordeste, com foco nos estados do Ceará, Piauí, Tocantins, no Sul do Maranhão e no Oeste da Bahia. O produto serve de matéria-prima para a produção de fertilizantes fosfatados.

Em novembro de 2015, a expectativa do presidente da INB, Aquilino Senra, era que a licença prévia do empreendimento seria emitida ainda neste mês, o que permitiria que o complexo passasse a operar em 2019.

Entretanto, a Galvani diz que, atualmente, ainda está trabalhando na obtenção da licença prévia junto ao IBAMA e na obtenção da aprovação do relatório de local, de responsabilidade da CNEN. "A expectativa da Galvani é de receber as licenças ainda no decorrer deste ano", informou a empresa. "Só é permitido fazer qualquer atividade na área após a obtenção da licença de instalação, razão pela qual nada ainda não se iniciaram as obras de implantação do empreendimento. Os trabalhos atuais se concentram na elaboração de estudos sobre o melhor aproveitamento da jazida e a melhoria das condições operacionais", disse o Deputado Danilo Forte.

Urânio

A INB estima que o complexo proporcione a extração de 1.600 toneladas de concentrado de urânio por ano. Quando estiver em operação, o empreendimento deverá gerar mil empregos diretos e aproximadamente 3 mil indiretos. Os investimentos estão estimados em R$ 900 milhões. A previsão é que o Projeto gere R$ 92,6 milhões em arrecadação de tributos para o Ceará, por ano, sendo R$ 90 milhões em Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e R$ 2,6 milhões em Imposto Sobre Serviço de Qualquer Natureza (ISS). Além do pagamento anual de R$ 2 milhões pela Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais.

Foto de Antônio Carlos Alves

Nenhum comentário

Pedimos aos usuários que logo abaixo da caixa de comentários ao invés de anonimo, coloquem nome/url e coloquem a identificação a fim de comprovar seus cometários, é muito importante que vcs se identifiquem assim suas opiniões serão mais aceitas. Aos que persistirem no anonimato será feita a devida moderação nas palavras e afirmações comentadas.

Não utilizem palavras ou frases que ataquem ou agridam a outrem direta ou indiretamente, o portal C4 Notícias modera os comentários mas não se responsabiliza pelas opiniões deixadas por seus leitores.

att
Equipe C4 Notícias