Canindé

[Canindé][bleft]

Regional

[Regional][twocolumns]

CLIMA TEMPO: METEOROLOGISTA APONTA CHUVAS NO CEARÁ EM 2017


Diante do quadro de incertezas que vivem o homem do Sertão com a pior seca dos últimos 100 anos, onde a falta de chuvas tem prejudicado a criação de animais e plantios, as condições presentes atualmente no oceano Pacífico equatorial apontam para uma boa estação chuvosa em 2017 no Ceará e no Nordeste, com chuvas na média ou até acima dela. Essa previsão é confiada ao meteorologista Alexandre Nascimento, do CLIMA TEMPO, que prevê também chuvas irregulares nos meses de outubro, novembro e dezembro DE 2016. ‘’Nos próximos meses a expectativa é de que chova bem mais que nos últimos anos’’, prevê Nascimento.

‘’A condição para que ocorram chuvas acima da média histórica é infinitamente melhor que a dos últimos anos. Nós já vínhamos com chuvas irregulares desde 2012. No último ano, com o super El Niño que se formou, foi o último prego para fechar o caixão. Para o próximo ano, mesmo que a La niña não se forme – oficialmente, [existe] uma condição mais fria do que o normal no Pacífico equatorial, que se desenha favorável ao Nordeste’’, explica. 

Segundo ele, o El Niño é o aquecimento anormal do oceano Pacífico equatorial que provoca mudanças na circulação da atmosfera, causando fenômeno como secas e enchentes em várias partes do globo. O La Niña, por sua vez, é o oposto. O fenômeno é responsável pelo esfriamento das águas do oceano Pacífico e, como consequência, as águas do Atlântico sofrem um aquecimento para que haja um equilíbrio na temperatura atmosférica.

“Acredito que as chuvas não sejam suficientes para recompor de vez os reservatórios, que estão abaixo da normalidade, mas já começa a sair do abismo hidrológico que entrou nos últimos anos. Praticamente em todo o período outubro, novembro e dezembro, a gente deve ter aí grande parte da região com chuvas acima da média”, diz.
O período de chuvas, no Ceará, pode ser dividido em três fases - pré-estação, estação e pós-estação – e se estendem de dezembro a meados de junho. As chuvas que ocorrem em dezembro e janeiro, chamadas de chuvas de pré-estação, são causadas basicamente por frentes frias que vem do Sul, o que acaba afetando a atmosfera do Nordeste.


O segundo momento das chuvas é aquele que vai mais ou menos de fevereiro a maio. Essa estação de chuva é causada por um sistema chamado de Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), é o sistema meteorológico mais importante na determinação de quão abundante ou deficiente serão as chuvas no Norte do Nordeste do Brasil. 

A ZCIT se forma pelo encontro dos ventos úmidos do hemisfério sul e do hemisfério norte e age sobre o Norte e Nordeste durante o verão e o outono. De maneira simplista, pode-se dizer que a convergência dos ventos faz com que o ar, quente e úmido ascenda, carregando umidade do oceano para os altos níveis da atmosfera ocorrendo à formação das nuvens.

Após as chuvas da estação, existe uma última chuva, que ocorre nos meses de maio, junho, e até se esticam um pouco mais. Essas chuvas são chamadas pela meteorologia de chuvas de pós–estação. Elas vêm do leste, do Oceano Atlântico, passando pelos litorais de Pernambuco e Paraíba, e podem atravessar as chapadas do leste do Ceará e chegar ao Sertão e até mesmo a Fortaleza. Essas chuvas são causadas pelo que os meteorologistas chamam de “ondas de leste”. De acordo com os meteorologistas, não têm suas causas bem conhecidas e, por essa razão, difíceis de prever com antecedência de mais de algumas semanas.

Hoje os açudes que servem ao Município de Canindé se encontram em situação crítica. O General Sampaio com capacidade para 320 milhões e 200 mil metros cúbicos tem hoje 7 milhões e 420 mil metros o que representa 2,30% de sua cota total. O Sousa com 30 milhões e 840 mil metros cúbicos estar com 0,02 metros cúbicos, num percentual de 0,06% da capacidade.

O São Matheus com capacidade de 10 milhões 330 mil metros cúbicos se encontra com 0,05 metros, o equivalente a 0,48% da capacidade. O Salão que cheio atinge a 6 milhões e 40 mil metros cúbicos estar com 0,10 metros cúbicos, o que representa 1,60% da sua totalidade. O Escuridão com uma capacidade de dois milhões e 720 mil metros cúbicos encontra-se com 0,07 metros cúbicos, o que representa 2,49%.

Fotos de Antônio Carlos Alves
Post A Comment
  • Blogger Comment using Blogger
  • Facebook Comment using Facebook
  • Disqus Comment using Disqus

Um comentário :

  1. Essa questão de água é muito seria, todos temos que ter consciência dos dias crítico qdo os reservatórios estão abaixo dos níveis normais temos que economizar muito.

    ResponderExcluir

Pedimos aos usuários que logo abaixo da caixa de comentários ao invés de anonimo, coloquem nome/url e coloquem a identificação a fim de comprovar seus cometários, é muito importante que vcs se identifiquem assim suas opiniões serão mais aceitas. Aos que persistirem no anonimato será feita a devida moderação nas palavras e afirmações comentadas.

Não utilizem palavras ou frases que ataquem ou agridam a outrem direta ou indiretamente, o portal C4 Notícias modera os comentários mas não se responsabiliza pelas opiniões deixadas por seus leitores.

att
Equipe C4 Notícias


Prefeitura

[Prefeitura][grids]

Ceará

[Ceará][list]

Nacional

[Nacional][bsummary]

Plantão Policial

[plantão policial][threecolumns]