Últimas Notícias

PRODUÇÃO: AGRICULTURA FAMILIAR: A FORÇA QUE VEM DA MULHER

Grupo de produtoras rurais de Municípios do Sertão do Ceará é exemplo da participação feminina no desenvolvimento sustentável do campo.

No Estado do Ceará, as mulheres rurais vêm ganhando força e conquistando cada dia mais espaços na agricultura familiar. No programa da agricultura familiar nos Sertões de Canindé, que compreendem os Municípios de Canindé, Caridade, Itatira, Paramoti, Madalena e Boa Viagem, elas já são 1.170 beneficiárias de incentivos financeiros diretos para adoção de boas práticas no campo. Mas é nos comitês gestores de micro bacias que a participação das mulheres ganha maior destaque, com um terço de representação feminina. Além do trabalho no dia a dia do campo, essas mulheres estão, junto com os demais grupos da comunidade, tomando as decisões que promovem a transformação das suas realidades.

Em Canindé, Município do Brasil com maior número de organizações de produtores rurais, elas também ocupam posições de liderança, inclusive como presidentes de associações. Na localidade de Barra do Bento, um grupo formado por sete produtoras rurais – seis da mesma família e uma vizinha – está começando a chamar a atenção da comunidade, com um trabalho de sol a sol dedicado à lavoura e com a comercialização de seus produtos garantida na feira que acontece todas as terça e quarta-feira em Canindé.


Na Comunidade 13 de Maio, em Madalena as irmãs Mariza, Silvânia e Helena Medeiros lideram o grupo também formado por Flávia Medeiros, Ana Maria da Silva, Marília Cabral e Raquel Pacheco. São elas que cuidam da roça, enquanto os maridos, filhos e sobrinhos ficam responsáveis pelo transporte e comercialização dos produtos.


‘’Nossa família vive aqui há mais de 70 anos. Meus pais nos ensinaram o trabalho e quero transmitir o que aprendi para os meus filhos. Se eles quiserem outra profissão, tudo bem, mas eles precisam também aprender a amar essa terra - disse Mariza.

Ela e as demais produtoras do grupo acordam todos os dias por volta das cinco e meia da manhã e não têm hora para terminar as atividades na lavoura’’.

‘’Só depois que vejo todo o serviço do dia na plantação pronto consigo voltar para casa. Aí sim, vou cuidar dos afazeres domésticos, do marido e dos filhos’’, ressalta a irmã Silvânia.


Por meio dos Quintais Produtivos, as produtoras adotaram práticas para obter produtos de qualidade, com técnicas de baixo custo, que não agridem o meio ambiente e exigem menor uso de mão de obra. Entre essas técnicas estão o uso da aveia preta para adubação verde e plantio direto, a irrigação localizada e fertirrigação, além da utilização de caldas alternativas para controle da mosca branca. Nas lavouras, as agricultoras empregam métodos desenvolvidos pela EMATERCE, que reduz quantidade de produtos químicos.

‘’Quando começamos com as práticas dos adubos orgânicos, alguns homens da família acharam que não ia dar certo. Hoje eles é que estão começando a adotá-las, depois que viram os nossos resultados’’ - comenta Mariza.

‘’As duas receberam incentivos Emergenciais e desde então adotaram práticas de adubação verde, plantio direto e preservação ambiental (proteção de nascente e recuperação de área de recarga). Vale ressaltar que a nascente do sítio dessa família abastece, com água potável, 34 famílias da micro bacia do Umari’’ destaca Miguel Sales

Outra conquista das agricultoras foi à comercialização dos alimentos em mercados institucionais.


Além das vendas para o comércio de Madalena toda a família vende suas mercadorias também para o PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar) de e PAA (Programa de Aquisição de Alimentos). Elas estão virando exemplo para toda a comunidade. A presença da mulher na agricultura familiar é uma realidade no Sertão do Ceará.

Segundo dados do IBGE, as mulheres representam um terço da força de trabalho ocupada na agricultura familiar. Além disso, a contribuição das mulheres na renda das famílias é maior no campo, com percentual de participação de 42,4%. Nas áreas urbanas a média de contribuição é de 40,7%. 

Fotos e texto de Antônio Carlos Alves

Nenhum comentário

Pedimos aos usuários que logo abaixo da caixa de comentários ao invés de anonimo, coloquem nome/url e coloquem a identificação a fim de comprovar seus cometários, é muito importante que vcs se identifiquem assim suas opiniões serão mais aceitas. Aos que persistirem no anonimato será feita a devida moderação nas palavras e afirmações comentadas.

Não utilizem palavras ou frases que ataquem ou agridam a outrem direta ou indiretamente, o portal C4 Notícias modera os comentários mas não se responsabiliza pelas opiniões deixadas por seus leitores.

att
Equipe C4 Notícias