Últimas Notícias

Citado por Machado, Henrique Alves pede demissão e é 3ª baixa de Temer


Antes de Alves, os ministros Romero Jucá (Planejamento) e Fabiano Silveira (Transparência) também deixaram o cargo por conta de gravações de Sérgio Machado

Ministro do Turismo de Dilma Rousseff (PT) e de Michel Temer (PMDB),Henrique Eduardo Alves (PMDB) pediu demissão e é a 3ª baixa no primeiro escalão do governo interino. Ele é um dos políticos citados como beneficiários de propinas em delação do ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado.

A informação é do jornal o Estado de S. Paulo e foi confirmada agora há pouco pelo Palácio do Planalto. Antes de Alves, os ministros Romero Jucá (Planejamento) e Fabiano Silveira (Transparência) também deixaram o cargo por conta de gravações de Sérgio Machado.


O pedido de demissão teria sido comunicado pelo agora ex-ministro ao próprio Temer, por telefone. A carta de demissão deve ser entregue ainda nesta quinta. Henrique Alves tem afirmado que todas as doações de sua campanha eram oficiais e declaradas à Justiça.

Repasse de propinas

Ex-presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves foi ministro de Dilma até dias antes da votação do Impeachment na Casa. Em sua delação, Sérgio Machado diz ter pago propina de R$ 1,55 milhão, entre 2008 e 2014, ao ministro.

No início do mês, Alves também foi alvo de ação do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. A peça acusa o ministro de ter trocado favores para a empreiteira OAS por obter recursos desviados da Petrobras.

Na ação, Janot diz que parte dos desvios eram usados para bancar campanha do ministro ao governo do Rio Grande do Norte em 2014. Vencedor no 1º turno, Alves acabou derrotado por Robinson Faria (PSD) no segundo turno por 54,42%.
Com informações O POVO Online

Nenhum comentário

Pedimos aos usuários que logo abaixo da caixa de comentários ao invés de anonimo, coloquem nome/url e coloquem a identificação a fim de comprovar seus cometários, é muito importante que vcs se identifiquem assim suas opiniões serão mais aceitas. Aos que persistirem no anonimato será feita a devida moderação nas palavras e afirmações comentadas.

Não utilizem palavras ou frases que ataquem ou agridam a outrem direta ou indiretamente, o portal C4 Notícias modera os comentários mas não se responsabiliza pelas opiniões deixadas por seus leitores.

att
Equipe C4 Notícias