Últimas Notícias

AS VANTAGENS DE SE CRIAR CABRAS.


EXCLUSIVO

O sucesso do projeto para criar cabras no sertão já pode ser sentido, nos comparativos feitos por Samuel Pimenta. O zootecnista afirma que se os criadores cuidarem da sanidade do rebanho, empregarem novas técnicas de manejo alimentar e reprodutivo, que possibilitem melhorias e qualidade dos animais na ampliação do plantel de maneira uniforme e saudável, todos terão sucesso.

Uma vaca come, em média, 40 quilos por dia, e bebe 50 litros de água. Pode apresentar muitas vantagens em comparação às cabras, porém, quando se trata de criação no semiárido, a caprinocultura torna-se mais viável ao pequeno produtor.

“Com as técnicas adequadas, a redução da mortandade fica praticamente zero e aumento no número do rebanho são comuns", frisa. Para ele, uma das raças mais adaptadas para a região do semiárido é o Anglo Nubiano, uma raça mista tanto para carne como para leite, a Saaney, onde sua aptidão é leite, além de raças nativas como Canindé, Moxotó, que tem aptidão para produção de carne´´, diz.

“A exigência alimentar dessas raças não é tão grande. Possui excelente desempenho alimentar no ganho de peso e produção de leite. Elas são típicas de regiões semiáridas, onde o índice pluviométrico é baixo, na qual se adaptam bem às condições de escassez de chuvas, se alimentando de pastagens nativas da nossa Caatinga como, por exemplo, leucena, excelente proteína, a vagem da algaroba, feijão guandu, marmeleiro, todas as plantas predominantes da nossa região’’, explicou ele.
Para mostrar a viabilidade para se criar bodes, Samuel Pimenta faz um comparativo interessante. 



“Uma vaca de 500 quilos come cerca de 40 quilos de forragem, diariamente, e bebe 50 litros de água por dia, o que equivale de 10 a 12 caprinos adultos durante o dia”. A cabra bebe em média 12 litros de água e se mantém com 6 quilos de alimento no mesmo período. "A cabra representa um meio de alimento de sobrevivência e uma saída econômica para muitas famílias do sertão do Ceará", lembra Samuel.


Exemplo

A vaca para primeira cria está apta a partir de três anos e só pare um filhote dentro da normalidade. Já a cabra está pronta para cobertura a partir dos oito meses e é comum nascer dois filhotes. "A cada dois anos, aproximadamente, a cabra assegura três crias, a vaca só voltaria a parir depois de um ano. O intervalo entre os partos de uma vaca está na média de 18 meses. A cabra nesse mesmo processo seriam oito meses", ensina o zootecnista.

Segundo o profissional da área, com as técnicas aplicadas corretamente, nascem, em média, dois cabritos por ano.

O manejo sanitário implica também o uso correto de imunização, além de aplicar vermifugação de quatro em quatro meses. “Em Tauá, quem cria cabra já aprendeu inclusive a fazer pequenas cirurgias, corte do umbigo e castração, visando prevenir doenças e infecções nos animais’’, lembra Samuel Pimenta”.

Para o secretário de Agricultura e Recursos Hídricos de Canindé, Domingos Sávio, a grande finalidade do órgão é conscientizar o agricultor sobre as vantagens da criação de caprinos, animal rústico que se adapta com facilidade ao clima do sertão do Estado do Ceará.

Em relação aos bovinos, animais de maior porte e que comem por 12 caprinos, Domingos salienta que exige mais capital por parte dos criadores para aquisição das matrizes e bezerros, além de mais tempo para a comercialização.

Quanto aos caprinos, o mercado é favorável e a oferta atual sequer atende à demanda regional. "Com sete meses, os caprinos chegam a uma média de 35 quilos e até um ano de idade é o tempo ideal para comercialização, porque a carne está macia", lembra o secretário.




Fotos e texto de Antônio Carlos Alves 
Amanhã você acompanha na última Reportagem: Canindé cria Projeto APRISCO.

Nenhum comentário

Pedimos aos usuários que logo abaixo da caixa de comentários ao invés de anonimo, coloquem nome/url e coloquem a identificação a fim de comprovar seus cometários, é muito importante que vcs se identifiquem assim suas opiniões serão mais aceitas. Aos que persistirem no anonimato será feita a devida moderação nas palavras e afirmações comentadas.

Não utilizem palavras ou frases que ataquem ou agridam a outrem direta ou indiretamente, o portal C4 Notícias modera os comentários mas não se responsabiliza pelas opiniões deixadas por seus leitores.

att
Equipe C4 Notícias