Últimas Notícias

FALTA DE CHUVAS REDUZ PRODUÇÃO DE BANANA EM ITATIRA


O Município de Itatira já foi um dos maiores produtores de banana do Ceará, consagrando o Estado como o maior produtor do Brasil na década de 70. Hoje, em termos de produção, o Estado posiciona-se em oitavo lugar no ranking nacional e em terceiro lugar no Nordeste. A seca tem provocado baixa produção do fruto. Um dos principais motivos é a estiagem prolongada que castiga os produtores da região, provocando uma redução na produção. O fenômeno originou um produto com baixa competitividade que não atende aos requisitos de mercados mais exigentes, sendo praticamente todo comercializado com varejistas ou consumidores da periferia da região e feiras livres.

O principal motivo refere-se a alterações do perfil de consumo, revelando grau de exigência crescente dos consumidores dos supermercados com relação aos atributos de qualidade do produto, bem como seu preço e regularidade de fornecimento, principalmente diante das possibilidades atuais de consumo e comparação de produtos. Por essa razão, os Super e Hipermercados têm se abastecido da banana vinda de fora do Estado e das áreas irrigadas. O fato de a maior parte da produção de banana no Ceará ser ainda de sequeiro induz a que os supermercados, principalmente na entressafra, tenham que se abastecer, em parte, da banana proveniente de outras regiões, em razão da produção das áreas irrigadas. No município, grande parte da produção de banana é oriunda dos pequenos produtores das tradicionais áreas de exploração da cultura. O cultivo da banana na serra é realizado principalmente sob o regime de sequeiro, à mercê exclusivamente da chuva, apresentando, como consequência, falta de regularidade no fornecimento. 


Poucos produtores mencionaram fazer algum tipo de irrigação por gravidade com água de cacimba ou pequena barragem. Hoje, os resultados mostram que apenas a região do Baixo Jaguaribe tem atendido às exigências dos supermercados porque contam com acesso à informação, utilização de tecnologia de irrigação e tratamentos pós-colheita adequados, que são alguns dos fatores responsáveis pela produção de uma banana com as características exigidas pelo consumidor. As bananas formam-se em cachos na parte superior dos "pseudocaules" que nascem de um verdadeiro caule subterrâneo (rizoma ou cormo) cuja longevidade chega há 15 anos ou mais. Depois da maturação e colheita do cacho de bananas, o pseudocaule morre (ou é cortado), dando origem, posteriormente, a um novo pseudocaule. As pseudobagas formam-se em "pencas" com até cerca de vinte bananas. Os cachos de bananas, pendentes na extremidade do falso caule da bananeira, podem ter 5 a 20 pencas e podem pesar de 30 a 50 kg. Cada banana pesa, em média, 125g, com uma composição de 75% de água e 25% de matéria seca. Banana é fonte apreciável de vitamina A, vitamina C, fibras e potássio.


‘’A banana já foi carro-chefe da região. Hoje, enfrenta dificuldades, principalmente por causa da estiagem. 

Nas décadas de 1970 e 1980, o município era líder neste setor graças à terra fértil, à disponibilidade de água e mão-de-obra.

Atualmente, a situação é diferente. Os sistemas de sequeiro, que dependem de chuva, estão comprometidos pelos cinco anos seguidos de seca e pelas chuvas abaixo da média na última temporada’’, lamenta o prefeito da cidade Antônio Almir.

O agricultor Antônio Pereira afirma que a facilidade de encontrar a fruta construiu sua fama como o "Rei da Banana". Mensalmente chegava a colher cerca de 80 toneladas. "Agora as bananeiras estão morrendo, se acabando", afirma o produtor.

Com a redução da safra, o mercado também retraiu. No sítio de José Ribamar, as encomendas, antes enviadas para outros estados, hoje abastecem apenas mercados próximos.

"Essa produção está indo para Boa Viagem e Madalena. Os agricultores estão levando para lá, mas em outras épocas levavam até para Fortaleza", afirma o vereador Paulo Ruberto que deu entrada na Câmara dos Vereadores com um projeto de lei para revitalizar a banana em Itatira.



Para não ter perda completa na safra, os produtores precisam investir no manejo. Os restos da fruta servem como adubo, a medida está ajudando a deixar as plantas vivas.

Apesar da situação crítica, o município acredita que ainda há condições de recuperar a produção de banana e voltar aos tempos de fartura.

"Devido às terras serem as mesmas, férteis, vemos uma boa chance de produção das bananas, como nas décadas passadas", finaliza o vereador.


Fotos e Texto de Antônio Carlos Alves

Nenhum comentário

Pedimos aos usuários que logo abaixo da caixa de comentários ao invés de anonimo, coloquem nome/url e coloquem a identificação a fim de comprovar seus cometários, é muito importante que vcs se identifiquem assim suas opiniões serão mais aceitas. Aos que persistirem no anonimato será feita a devida moderação nas palavras e afirmações comentadas.

Não utilizem palavras ou frases que ataquem ou agridam a outrem direta ou indiretamente, o portal C4 Notícias modera os comentários mas não se responsabiliza pelas opiniões deixadas por seus leitores.

att
Equipe C4 Notícias