14 janeiro 2015

JUIZ DR. JOSIMAR DIVULGA NOTA E DESMENTE SAÍDA DE CANINDÉ.


Informações dão conta de que um vereador da base aliada do governo municipal estaria difundindo a falsa notícia da saída definitiva do Juiz titular da 1ª vara Antônio Josimar Almeida Alves, após o gozo de suas férias, contudo o magistrado fez questão de esclarecer o boato ao lançar a seguinte nota:  
Leia agora, na íntegra, a nota divulgada pelo juiz Antônio Josimar Almeida Alves, titular da 1a. Vara da Comarca de Canindé.

JUIZ DE DIREITO: ATIVIDADE DE RISCO

Parece não haver dúvida que a magistratura exerce atividade de risco, em razão do trabalho perigoso exercido pelos juízes ao distribuir a justiça e contrariar interesses ilegais.

No exercício das minhas relevantes atribuições, conferidas pela Constituição Federal e leis em geral, momentos de inquietações, de dúvidas e certezas, verdadeiras ou aparentes, sempre foram uma tônica frente aos conflitos que reclamavam uma solução com a espada da Justiça.

Vivenciei muitos momentos em que minha alma era carregada pela angustia, ingratidão ou até mesmo pela insegurança... Mas, nunca esqueci a lição de sabedoria do filosofo grego Epicuro que viveu nos anos 341 a 271 antes de Cristo:

"OS GRANDES NAVEGADORES DEVEM SUA REPUTAÇÃO AOS TEMPORAIS E TEMPESTADES."

Sou, antes de mais nada, um prestador de serviço público. É à população a quem devo toda a consideração; a quem devo atender com humildade, dignidade, serenidade e paciência, e minhas ações sempre foram pautadas no respeito e na dignidade da pessoa humana.

Sempre entendi que ser Juiz é ser bom, quando necessário. Ser justo, sempre. Ser intransigente com a injustiça e a ilegalidade. Ser solidário com o inocente. Ser duro com o infrator.

No exercício das minhas funções, diariamente sou levado a ingressar em universos desconhecidos do ser humano, conviver com personagens até então estranhos e conhecer um pouco de cada um e viver no seu mundo, que agora também é meu.

Inúmeras vezes coloquei minha vida e a de meus familiares em risco por força de minhas decisões, em busca do fortalecimento do Estado de Direito e da democracia, primado que nem sempre é compreendido por aqueles que têm seus inconfessáveis interesses contrariados por uma decisão judicial, muitos, até mesmo investidos em poder de autoridade, ou vivendo à sombra, mas que não passam de covardes que se escondem atrás do anonimato, ou então não são homens o suficiente para sustentar o que falam sorrateiramente.

Tentativas de intimidação ou mesmo ameaças veladas não vão me afastar do compromisso assumido quando ingressei na magistratura. Sempre tive consciência que minha atuação na aplicação da lei poderia em algumas situações render insatisfação e ate mesmo revolta, inclusive com riscos para a minha vida, mas nunca tive medo ou receio de enfrentar as injustiças ou aqueles que pretensiosamente se acham acima da lei.

A afirmação de que um Juiz de Direito não retorna mais para a sua Comarca pode ser entendida como uma ameaça à sua vida, ou uma tentativa de intimidação, pois tal pretensão perde-se no tempo e no espaço. Não vivemos mais nos tempos em que as oligarquias mandavam e desmandavam nas cidades do interior, inclusive com poder de vetar a nomeação de autoridades, inclusive Juízes e Promotores de Justiça, ou mesmo de retira-los da cidade quando bem entendessem, principalmente quando não atendiam aos pedidos dos “donos da cidade”.

Hoje, para quem não sabe, Juízes de Direito gozam da prerrogativa da INAMOVIBILIDADE, garantia prevista no artigo 95, inciso II, da Constituição Federal, que assegura a independência e a imparcialidade do Poder Judiciário, significando dizer que os Magistrados não podem ser removidos das comarcas onde atuam sem um motivo palpável. Para que o Juiz seja transferido é necessário que ele demonstre vontade de mudar de comarca, ou ainda, que a sua mudança seja por decorrência de incontestável interesse público, e não em razão da vontade daqueles que tenham seus interesses contrariados, que geralmente não têm coragem de assumir o que dizem, e quando falam o fazem de forma anônima.

Aqueles que defendem o anonimato ou dele fazem uso, são cúmplices da covardia dos que anonimamente se dedicam a atacar tudo e a todos e se esconder impunemente nas sombras. Quem tem coragem de olhar olho no olho e tem luz própria não precisa do anonimato. Somente as larvas e os vermes pusilânimes mais primitivos e fracos podem valer-se do anonimato para atacar os outros, porque não tem caráter e coragem para assumir aquilo que são.

Esse tipo de gente que por ter a personalidade de um covarde, faz alianças nas sombras, para conseguir galgar aquilo que pretende. São bôbos-da-corte, disfarçando-se de lideres, para conduzir multidões inteiras ao precipício sob pretexto de progresso. São enfim, gente que definitivamente, não merecem a nossa confiança, traiçoeiras, víboras que podem nos atacar à primeira oportunidade disponível. Todo aquele que se utiliza do anonimato para atacar alguém é necessariamente um frouxo, um covarde, assim como é cúmplice da covardia, e do mau-caratismo aqueles que a defendem.

Fonte Márcio Sousa adaptações C4 noticias 

3 comentários:

  1. Parabéns ao Dr. Josimar. Um verdadeiro e honrado servidor e guardião da justiça em nossa cidade. Diferente de outras autoridades que sorrateiramente escracham os direitos trabalhistas e sociais dos milhares de trabalhadores. Estamos todos indignados, pois mais uma vez retrocedemos na escolha de um administrador competente para nossa cidade. Nosso voto foi vencido em prol do detrimento de muitos assalariados e menos favorecidos de nossa terra. Canindé hoje padece, chora a tristeza da mágoa de termos se unido para alavancarmos um projeto político desonesto, asqueroso, que somente deteve os laços de companheirismo com seus apoiadores enquanto perdurava o interesse, logo quando todos se locupletaram com a vitórias esmagadora de uma população ávida de políticas públicas, deram as costas para esse projeto. O que dizer? O que falar? Aqueles que detêm a ideologia cristã - braço forte dessa harmoniosa coluna, poderia estender e reconhecer o erro grave cometido. Gritos, palavrões ou palavras de ordem, podem ser ditas? Será que ainda existe democracia ou será que a censura voltou. O texto do Excelentíssimo Juiz nos mostra a luz no fim do túnel, ou seja, ainda há vida nesse bosque da escuridão do retrocesso, ainda podemos pensar, sonhar, valorizar e acreditar que nada está perdido. Canindé ainda tem jeito, basta termos compromisso com nosso tão glorioso VOTO!

    ResponderExcluir
  2. Já dizia o filósofo " só sei que nada sei". Porém sabendo ou não empossaram um ficha suja, desobedecendo a lei ficha limpa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem empossou não foi o povo. A justiça cumpre a lei. Pena que a lei é feita por esse incompetentes legisladores.

      Excluir

Pedimos aos usuários que logo abaixo da caixa de comentários ao invés de anonimo, coloquem nome/url e coloquem a identificação a fim de comprovar seus cometários, é muito importante que vcs se identifiquem assim suas opiniões serão mais aceitas. Aos que persistirem no anonimato será feita a devida moderação nas palavras e afirmações comentadas.

Não utilizem palavras ou frases que ataquem ou agridam a outrem direta ou indiretamente, o portal C4 Notícias modera os comentários mas não se responsabiliza pelas opiniões deixadas por seus leitores.

att
Equipe C4 Notícias

Copyright © C4 - Notícias de Canindé | Designed With By Blogger Templates
Scroll To Top