Canindé

[Canindé][bleft]

Regional

[Regional][twocolumns]

Família cobra explicação sobre morte de criança recém nascida no Hospital Regional São Francisco.


Moradores do município de Canindé estão perplexos com a morte de uma criança recém nascida no Hospital Regional São Francisco. 
O parto teria acontecido há três dias, mas como a mãe estava desacompanhada na unidade hospitalar, ninguém da família havia tido informações sobre o estado de saúde da mãe e do bebê. 

A demora fez com que Francisca Jaila Ferreira, tia da criança, mesmo barrada na estrada da unidade hospitalar, procurasse outras formas de obter informações, e através de funcionários conseguiu entrar no hospital, quando soube através de uma enfermeira que uma criança havia morrido durante um parto complicado. 

Ainda esperançosa, a tia da criança buscou informações sobre o acontecido, mas infelizmente a notícia que recebeu não era bem a que a mesma esperava. 

Segundo Jaila, sua cunhada entrou em trabalho de parto normal, mas algo inesperado e ate o momento não explicado aconteceu, e a criança teve que ter a cabeça separada do corpo. Em seguida a mãe passou por uma cirurgia para a retirada do corpo do bebê.

Após o ocorrido a gestante continuou internada sob observação na unidade hospitalar. Os familiares da vítima contaram ainda que o momento mais doloroso para a família foi quando tiveram contato com o corpo do recém-nascido, que se encontrava dentro de uma caixa.

Francisca Jaila revelou ainda que em nenhum momento a família foi informada sobre o procedimento complicado do parto e ninguém assinou nenhum documento autorizando o ato.

O corpo da criança foi liberado nesta segunda-feira (23), mas a família quer a realização de um exame para confirmar o motivo da morte, tendo em vista que após o acontecimento o corpo não foi encaminhado ao Núcleo de Perícia Forence.

Em entrevista coletiva a Imprensa local o Diretor Clinico do Hospital Regional São Francisco de Canindé Dr. Martinho Jansweid de Carvalho e a Superintendente daquela instituição de saúde Elaine Pacifico informaram que o procedimento adotado pelo médico plantonista foi dentro dos parâmetros da obstetrícia e o fato do recém nascido ter sido degolado foi necessário para a realização da cirurgia cesariana e salvar a mãe. 

Questionado sobre não ter sido feito antes a cirurgia o médico informou que a paciente apresentou uma ultra sonografia na qual informava que a criança estava pesado pouco mais de 3 quilos, o que daria para nascer em parto normal, mas na hora do parto a criança estava pesando mais de 5 quilos. 

O fato da degola foi realizado após ter sido constato o óbito do recém nascido por anoxia, ou seja, a falta de oxigenação no cérebro devida o mesmo ter ficado preso na vagina da mãe. 

O Hospital informou ainda que está disponível para qualquer esclarecimento e reitera que não houve qualquer falha ou erro médico no procedimento. 

Tanto a família como, quanto os representantes do hospital deram entrevista a Rádio Jornal de Canindé.

Fonte. Rádio Jornal
Post A Comment
  • Blogger Comment using Blogger
  • Facebook Comment using Facebook
  • Disqus Comment using Disqus

4 comentários :

  1. Essa unidade hospitalar embora seja nescessaria encontra-see hoje mais como abatedouro do que hospital e os funcionários não todos mas infelizmente a maioria são não mais do que jumentos batizados,atendimento de péssima qualidade digo por experiencia propria e é por que fiu atendida pela unimed se não fosse meu filho tinha ate chegado a convulsionar se eu não tivesse feito um escandalo.triste

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. aff esses medicos estão muitos inresponsaveis ja morreu uma criança a pouco tempo aqui por quase a mesma coisa mais quem morreu foi a mãe estamos muito triste :

      Excluir
  2. pensei q n iam plublicar essa tragédia só deus

    ResponderExcluir
  3. Eu tambem fiquei muito triste com o acontecido.mas a realidade e essa,a dois anos eu perdi meu pai q faleceu no mesmo hospital meu pai sofreu um avc e eu desesperada procurei a enfermeira e ela falou q n podia fazer nada nem muito menos dar remedio p ele.elas nem se quer foram ver como ele estava.eu n sabia q ele tinha sofrido um avc eu só fui saber no outro dia quando o médico chegou.meu pai só aguentou mas alguns dias e falece.mas n acaba por ai no dia q ele faleceu levaram o corpo dele para a pedra e na ida a maca se fechou e meu pai caiu no chão porquê a maca estava toda enferrujada e pra minha indignação o porteiro ainda ficou rindo.isso tem que acabar até quando isso vai continuar?

    ResponderExcluir

Pedimos aos usuários que logo abaixo da caixa de comentários ao invés de anonimo, coloquem nome/url e coloquem a identificação a fim de comprovar seus cometários, é muito importante que vcs se identifiquem assim suas opiniões serão mais aceitas. Aos que persistirem no anonimato será feita a devida moderação nas palavras e afirmações comentadas.

Não utilizem palavras ou frases que ataquem ou agridam a outrem direta ou indiretamente, o portal C4 Notícias modera os comentários mas não se responsabiliza pelas opiniões deixadas por seus leitores.

att
Equipe C4 Notícias


Prefeitura

[Prefeitura][grids]

Ceará

[Ceará][list]

Nacional

[Nacional][bsummary]

Plantão Policial

[plantão policial][threecolumns]